quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Gabriela.


Se faz de Palavras Tão belas,
Seu jeito meigo de Ser,
carinhosa, romântica... Um anjo
que tive o prazer de conhecer,
ao seu lado só existe alegria,
quem conhece cultiva essa flor,
Sortudo é aquele que um dia conquistará o seu AMOR!
No infinito do seu olhar vejo um anjo sonhador e
Na tua boca tão bela Sincero é teu sorriso...
Ouço sua voz tão pura falando palavras seguras
Declamando Poemas de Amor.
Num tom altamente afinado me torno mais um Fã Viciado
No teu jeito único de ser... GABRIELA.

                                                                                                           Caíque Gabriel.



P.s: Agradeço ao meu primo Caíque, que me fez esse texto lindo e musicalizou.

sábado, 15 de janeiro de 2011

A terceira epifania angelical.

8 anjos se completam, 8 anjos se traduzem em cor, 8 anjos são a fórmula perfeita do amor...

O primeiro traz consigo a cor-de-rosa tem também o brilho das estrelas, é eterno, é saudoso, talvez o primeiro anjo seja o mais virtuoso...
O segundo é alaranjado esse é todo animado, faz sorrir, é inesquecível, sabido e muito amigo...
O terceiro é verde escuro, tem sentimentos assumidos, ele é muito ciumento do mesmo tanto que é bonito...
O quarto é amarelo esse é obediente e sincero, porém ele é sensível e magoa fácil, eu diria, eu diria que esse anjo é de plástico... 
O quinto tem a cor do verão, se faz memorável em cada movimento, ele é transitório mas mesmo assim vive aqui dentro...
O sexto é vermelho, esse é rápido e impactante, se agora é um furação daqui a pouco é apenas uma brisa refrescante...
O sétimo é azul, esse aqui é poetizado, está sempre presente mas ao mesmo tempo é abstrato, é o rei da emoção tem o poder de fazer amar e odiar, me parece sincronizado assim como a dança das ondas do mar...
O oitavo é lilás, traz consigo o pôr-do-sol repleto de calma, quanto mais doce se torna, com mais carinho me preenche a alma...

                                                                                             Gabriela Duarte.

P.s: explicando o título: essa foi realmente a terceira epifania que tive sobre "meus anjos" antes de fazer o texto e são 8 porque eu sou 2x o infinito.

Verbalizando aquele eclipse.

Amar, amar, amar, amadrugada...

E ainda que não sobre lua...
E ainda que não sobre céu...
E ainda que não sobrem estrelas...
E por mais que nada reste...
Ainda assim eu terei você dentro de mim...
E então o vento lembrará de contar nossa história.

                                                                            Gabriela Duarte.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

O que é solidão? O que faz solidão? Solidão, Solidão?

Imagine só, se a solidão fosse força
No meu cotidiano a fraqueza não existiria
Não estou só, mais estou mais a cada dia

Imagine só, se a solidão fosse beleza
Fosse caráter, dinheiro
Eu seria um homem completo
Um ser inteiro

Quantas pessoas não são solitárias e são felizes
Quantas com problemas nas pessoas pessoas acham suas raízes
Imagino só, que como não só, eu seria bem melhor

Imagino também que não sou só por não ter ninguém
Sou igual a lua, só. Porém tenho um brilho especial
Sou como o sol, que ilumina e faz mal.

"Eu não me afasto do mundo, o mundo me afasta dele
Hoje eu tenho pena de quem morre, e de quem vive
O mundo hoje vive sem carinho, completamente mesquinho."

"Quem tem um amigo, tem milhões.
Quem tem milhões não tem nenhum
A solidão a dois é mais gostoso
O mundo sem a solidão não teria brilho algum."

"A verdade da solidão está dentro de cada ser
E talvez a verdade de cada ser esteja dentro da solidão
Nas complexidades não existem virtudes
Não possuímos verdades se vivemos na ilusão."

                                                                                                       Jean Lacerda.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Nós

Nós somos a parte clara e invisível
Nós somos a ponte do inacessível
Somos a derrota do invencível
A loucura sã, a certeza vã

Somos a casa dos desabrigados
Não acreditamos na promessa do paraíso
Somos capaz de tudo se preciso
Da lágrima somos o sorriso

A escolha certa quando não se sabe o que fazer
Aquilo que se sente e não se quer dizer
O túnel do mal para o bem
Com amor ou sem

A fúria, a calma, as lamúrias a alma
Somos os filhos nos reflexos dos nossos pais
Somos o barco que procura o cais
Somos o amor, somos muito mais...

                                                                                                         Jean Lacerda e Kayros Kobayashi.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

O erro fatal

Damos valor ao que possuimos, mais e a quem amamos?
Nossos valores e nossas crenças dia a dia construimos
Somos quem somos e não quem proclamamos
Pra que construir história? Se nós mesmo a destruimos...

E ligeiramente o que é grande se faz pequeno
Todo o apresso se transforma em dor
O teu beijo agora possui veneno
Teu olhar não trás mais brilho e sim rancor

De agora em diante eu não serei só santo
Por mais que eu sofra, jamais entrarei em pranto
Lutei por teu brilho e tu quebraste o encanto

Ainda serei teu, teu amigo e teu companheiro
Ainda te amarei, embora meu coração não esteja inteiro
Meu amor ou minha dor, qual é o mais traiçoeiro?

Queremos, temos, porém merecemos?                                                     Jean Lacerda.