sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Rotina




De repente o dia virou noite e o sábado é terça-feira, oque houve? Confusão de pensamentos, sentimentos...

O som tá mudo e que silencio é esse que grita? Fui dormir tranquila e acordei a mil e acaba mais um dia e outra vez martelam vozes: “seja forte, fale alto, fale baixo, seja doce, seja dura, seja ágil, vá com calma, tenha pulso, seja menos agressiva” e outro dia acaba...

Iaí dia e então números e depois datas e então prazos e pessoas e vozes e sentimentos e finjo que estou funcionando, e sorriso e dorme e o dia acaba...

Nasce mais um sol e os horários não batem: se dormir muito perde a hora, se cumpre a hora perde o sono, e a hora acaba e o tempo voa, oque era o todo agora é parte, faz parte, seria isso algo como entrar pelas portas dos fundos de uma casa que já foi sua? Ou seria somente a maravilhosa inauguração de uma nova casa? E oque há dentro dessa casa?

Oque há com o céu? Tão azul parece feliz, porque as pessoas não se contagiam com essa felicidade?


                                                                                                                         
 Gabriela Duarte.

domingo, 28 de outubro de 2012

Homens ou animais, homens animais?

Entre a intenção do pensar e do agir
Meu coração palpita sensatez
Já não sei se devo ir ou vir
Só sei que chegou a minha vez

Estive me observando e buscando melhorar
Uma nova luta anda ocorrendo
Bem e mal invertem de lugar
Introspecção, já não resolve esse meu penar

A vida segue e a cada dia uma nova luta
Superações hoje se fazem rotina
Novas trocas já não possuem permuta
A beleza então escorre devagar

Com astúcia observo passos alheios
Surpreendo-me com segredos escancarados
Pois já não se há mais receio
Nesses jogos entre raposas e leopardos.

                                                                                                        Jean Lacerda.

domingo, 29 de julho de 2012

Belo Par!!


É luz para os meus olhos,
E música para os meus ouvidos,
É meu céu e meu inferno,
Meu paraíso interno e externo

Sinto no céu um novo ar,
Com um cheiro bom a me perfumar
Um novo rumo está por vir,
E irá nos dizer para onde ir

Levando-me em pensamentos
Trás me a paz que eu preciso
E em todos esses momentos,
Tira-me a dor e trás um sorriso,

O meu pecado é te querer
E o seu me completar
Eu te perdôo minha penitência
Porque juntos formamos um belo par.

                                                                                       Jean Lacerda.

domingo, 3 de junho de 2012

Um Zero, um xis


Oi solidão! Você por aqui? Acho que já discutimos muito sobre eu não gostar de você e você viver atrás de mim, mesmo quando eu te jogo pra longe você acaba voltando caladinha e sutil pra que eu não te sinta e aos poucos você senta comigo no fim da tarde e vai me fazendo companhia, me abraça forte, eu te empurro, mas não tem jeito é, de verdade, você  quem está sempre comigo e quer saber? Eu ainda não aceitei de fato isso, mas já estou me acostumando.

Vai ver a vida é isso mesmo, aprendi a não te rejeitar mais, me dá um tempo eu vou aprender a quem sabe um dia, gostar de você... Mas vamos com calma, tá? Eu ainda não morro de amores por ti, mas, pelo menos não te jogo mais pra longe... Quando você me vem te chamo pra sentar comigo e não me incomodo mais, já é um avanço, né?

Quem sabe um dia você venha a fazer parte de mim, ou já faz e esqueceu de me avisar...

Pois é, amiguinha, quando eu preciso de verdade de algo é com você que eu conto!
É isso! sem remédio, sem som, sem cor, sem sabor.. Só você, assim, incolor e silenciosa que machuca, mas também ensina a crescer!


                                                                                                                                     Gabriela Duarte.

terça-feira, 10 de abril de 2012

Carta ao desconhecido.


Como chamamos quem mata por impulso, no calor do momento, em legítima defesa?
Como chamamos quem planeja uma morte, mata lentamente e sem fazer barulho?
Oque houve com o canto pássaros e as batidas reggae? 
E aquele céu cheio de estrelas, cadê?
Sinto falta da Lua sorrindo pra mim... Frio, sinto muito frio, um frio que queima o coração
Continuo esperando no silencio do relógio que algo aconteça 
E magicamente todos os erros desapareçam...
Hoje eu não consegui dar nenhum sorriso sincero;
Imagine a cama que você dorme, o lugar onde você se sente aquecido e protegido,
O sagrado lugar onde seu corpo e sua mente repousam, o melhor lugar do mundo. 
Agora imagine se você rasgasse os lençóis e manchasse as paredes, se você se equivocasse... Que dor você iria sentir!
E se as paredes falassem? Testemunhariam ao seu favor?
E se depois de chorar uma semana você lavasse o rosto e maquiasse qualquer tristeza, comprasse um sorriso lindo e saísse por aí,
Quem compraria tua felicidade? Será que alguém não compraria?
O sol sempre vai voltar, mesmo que o dia esteja nublado.


                                                                                                                     Gabriela Duarte

quinta-feira, 8 de março de 2012

Mulher


Uma mulher se despir de verdade-emocionalmente,
Assistir uma mulher desabotoar suas fantasias suas dores, sua história...
É erótico ver uma mulher, que sorri que chora, 
que vacila, que fica linda sendo sincera, que fica uma delícia sendo divertida,
 que deixa qualquer um maluco sendo inteligente.
Uma mulher que diz o que pensa, o que sente e o que pretende, sem meias verdades, 
sem esconder seus pequenos defeitos 
- Alias, deveríamos nos orgulhar de nossas falhas, é o que nos torna humanas, 
e não bonecas de porcelanas.
Arrebatador é assistir ao desnudamento de uma mulher em que sempre se poderá confiar,
 mesmo que vire ex, mesmo que saiba demais.
Não é fácil tirar a roupa e ficar pendurada numa banca de jornal
mas difícil por difícil, também é complicado abrir mão de pudores verbais,
expor nosso segredos e insanidade, revelar nosso interior.
Mas é com certeza o que devemos continuar fazendo.
Despir nossa alma e mostrar pra valer quem somos 
e o que trazemos de belo de lindo de maravilhoso por dentro.
Não conheço strip-tease mais sedutor.

                                                                          Martha Medeiros



P.S:. Feliz Dia da Mulher a todas as leitoras! :D

domingo, 4 de março de 2012

A linha.


Há uma linha muito tênue entre o ser o parecer
Entre a preocupação e o desespero
Entre o drama e o exagero
Entre o amor e o desejo

Não sei dizer quantas flores é preciso para um buquê bem feito, perfeito.
Mas sei que  basta apenas um sorriso pra sacudir um coração dentro do peito.

Aprendi que há também uma linha muito tênue 
Entre o cuidado e a posse
Entre a boca e o beijo
Entre o sono e o bocejo

Mas ao ouvir o dedilhar de um doce acorde, acordei
E oque vi foram teus olhos que olhavam pra mim
A linha tênue entre eu e você eu não sei
Mas se eu ainda estiver sonhando, por favor me deixe dormir.
                                                                                                     
                                                                                                               Gabriela Duarte.

sábado, 3 de março de 2012

O que você merece

Talvez eu não seja capaz
De completar-te como em mente
Mas você é o meu melhor
E sou feliz por tê-la comigo
Você é a menina mais especial do mundo
E quando você chora, um pedaço de mim se quebra
Eu não sei o que você merece
Embora tenho dado tudo que tenho
E quando penso que possas estar em outros sonhos
É como se eu não fosse bom o bastante,
Eu não saberia de tudo que você quer,
Mas você não quer diamantes, nem ouro
Então eu acredito que estamos no caminho certo
Essas paredes de gelo agora são invisíveis,
Pois seu abraço me tira fora de tempo
Porque não existe universo paralelo para o nosso amor
Até a minha sombra reflete carinho,
E embora sem saber o que você merece
Irei seguir nesse caminho
Porque você é maravilhosa menina
Então te mostrarei como é bom o amor.

                                                                                                     Jean Lacerda.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Caráter, independe de religião.

Interessante como me perdi em minha sensatez,
Acreditando ser assim, infinito como o além
Com meus cinco sentidos me pus em embriaguez
E da minha própria mente me fiz refém

Passei por turbilhões e enfrentei calmarias,
Embora todas as noites e todos os dias,
Questionava-me o porquê dessa então tola razão,
Que para mim sempre fez sentindo e para muitos não.

Pude então ver o brilho saindo das pessoas ao me olhar,
Pude enfim perceber, que nenhuma delas tentou me entender
Olhavam para mim e pensavam, mais que triste este sujeito,
E não se desculparam por tamanho preconceito.

A adversidade é como um pólo oposto,
Sempre irá existir independente do seu gosto,
Aprenda a aprender com o que não te convém,
Sendo assim melhor do que esse alguém

Esse alguém que julga e não entende,
Esse que sorri e não compreende,
Seja melhor com tudo; com o que tem e com o que não é seu,
Porque eu dou o melhor de mim, mesmo sendo um simples ateu.

                                                                                                              Jean Lacerda.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Ilusão

Eu pus você pra fora
Posso sentir que te esqueci
No silêncio que ouço agora
Sopram ares que não vivi

Eu te expulsei de tudo que me pertencia
Dos meus sonhos, da minha realidade,
Dos meus desejos e do meu dia a dia
Sei que hoje não és se quer uma saudade

Hoje não és nada, não é lembrança,
Não é raio, nem sol, nem esperança
E porque alguma desconhecida razão;
Jamais consegui te expulsar do meu coração.

                                                                                                   Jean Lacerda.