sábado, 26 de janeiro de 2013

Velhos novos sentimentos


Não pude sentir essa explosão
Apenas o abalo que fez tremer meu coração
Sem perscrutar decidi apenas me conter
Adiando assim respostas essências para o meu viver

Confuso, me pego a questionar
E me recuso então a ter que aceitar
Que as dores da vida eu não posso curar
E os erros do passado eu já não possa apagar

Estremecido, minha carne sente a sua
Minhas memórias ainda estão vivas
O meu sangue tem seu DNA e enfim
A minha alma não habita mais em mim

Está perdida por aí tal como meus pensamentos
Tal como tudo aquilo que não vivemos
Tal como todos nossos lindos momentos
Tal como o adeus que nós não dissemos...

                                                                                    Jean Lacerda.