segunda-feira, 8 de julho de 2013

Epifania

Milhares de mundos existem em mim
Uns parecem pequenos, outros, não tem fim
Eles parecem saber mais quem sou, do que eu mesmo
AH! Que ironia, quando me olho e não me vejo...

Na epifania do meu ser as perguntas são sólidas
Id e Superego parecem brincadeiras,
Para fantasias mórbidas, que me molham os pelos e arrepiam a nuca,
Na epifania do meu ser o agora se torna o nunca

O que mais importa?
E o que deveria importar...
Sussurra minha mente ansiando como um cristão anseia pela fé.

Estive procurando resposta em meus sonhos
Estive perdido, procurei por procurar
Não reguei minhas melhores sementes
Pois minha água parece não purificar

A minha fonte da vida está intacta
Pura, virgem, como a dúvida que não foi dissipada
Inexplorada, continuamente por seus milhões de labirintos,
Andarei trilhando, para que acabem todas as dúvidas que sinto.


                                                                                                 Jean Lacerda.!