sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Bem-querer.


Eu quero um amor preguiçoso que me beije gostoso
Eu quero o mar sem sal e também mil fotos no mural
Quero uma rede e um violão, quero melodia e canção...
Quero a luz do luar, quero beber do mel e não enjoar
Quero um dia de sol, quando cair a noite, uma fogueira pra esquentar
Quero erva doce pra plantar...
Quero sentar em baixo de uma mangueira e relaxar
Quero ouvir o vento, criar sentimento, quero voar!

                                                                               
                                                                                                  Gabriela Duarte.

domingo, 25 de setembro de 2011

100 mais.



Salto alto a esmagar as flores que brotam, batom que grita, promessas embrulhadas pra viagem, mel pra nunca mais...
Os olhos já borrados de tanto chorar, a tinta estúpida no cabelo, as pulseiras de bijuteria, as unhas vermelhas...
Um passo errado, a perdição, o mundo grita que acreditar no ser humano é em vão, o gato preto é sua companhia, quem diria?
Alô mundão: Que vida, Vida de cão!

                                                                                                            Gabriela Duarte.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Poeminha do Qualquer.


Nos olhos... Verdade
Nos lábios... Sorriso
Nos pulsos... Vontade
No peito... Saudade
Na cabeça... Ideias
No sorriso... Verdade
Nos lábios... Vontade
 Nas ideias... Saudade
                                                                    Gabriela Duarte