sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Deitada em seu colo o mundo não me surpreende...

Útero que me gerou, seio que me alimentou, lábios que me beijam, corpo que me aquece, amor que me merece, minha cor, minha flor, minha cara...

Olhos que me compreendem, pés que me conduzem, mãos que me protegem, coração que me abraça, carinho que me acolhe, meu velho, meu querido, meu amigo...

Que amor tem a sua flor? A flor que me gerou tem olhos de mel, pele de pêssego, garra de leoa, e muita compaixão.
Que amor tem o seu autor? O meu poeta tem lindos cabelos, tem também o porto seguro infindo em seu olhar, a segurança de um líder e o coração de urso.

ps:. Aos autores da minha vida, amém.
                                                                                                                Gabriela Duarte.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Escudos

Homem sozinho e de difícil compreensão
Cabeça voando e os pés sempre ao chão
Sintonizando paródias curtas dessa imensa multidão
Na psicose da vida alheia, devastando meu coração

Sempre com um brilho no olhar
Seja pra rir ou chorar
No peito; uma velha cicatriz
Indicando que aqui alguém já foi feliz

Na intensidade dos momentos insanos
Jamais fui atingido
Nos meus sonhos e em meus tantos planos
Nada me foi concebido

Em cada escudo uma máscara
Em cada máscara uma ilusão
De cada verdade que me foi dita
Nenhuma mentira é exceção


Jean Lacerda.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Palavras de Clarice


"A poesia dos poetas que sofreram é doce e terna. E a dos outros,
dos que de nada foram privados, é ardente, sofredora e rebelde."

                                                                            Clarice Lispector

domingo, 5 de setembro de 2010

As estações

Desabrocharam os sentimentos...
A alma é de todas as cores e de todas as cores são as flores que resplandecem ao alvorecer.
O sorriso matinal, o abraço fraterno, margaridas no jardim, sorvete de limão, Brincadeira de
Criança, é primavera então...
Água de côco, corpo quente, beijo ardente, sorriso de sol, luz nos olhos, animação!
Agite comigo, amigo, chegou o verão!
O céu chora, cinza é a aurora, o dia demora, então chega a escuridão, chocolate, aquecedor,
filme, cobertor, luvas e botas, ruas mortas. Sorriso gélido, abraço apertado, olhar carinhoso,
O inverno é audacioso...
As folhas estão caindo, se vai mais uma estação, pôr-do-sol a beira do rio, poema e canção,
Beijo molhado sabor de fruta vermelha, cenas que me parecem retrô,
Mas esse é o outono que tem a cor do amor!

                                                                                                                     Gabriela Duarte

Só assim

Só assim pra você ver como eu te quero
Hoje enfim já não mais me desespero
A certeza de te ter já carrego em meu peito
Só assim para eu dormir quando me deito

Contemplando más caras, sorrisos e abraços
Só assim para ser homem nos seus braços
Suprindo a carência com beijos secos e sem moral
Só assim para eu ser bom e não ser mal

Vivendo sua vida, abdicando o resto inteiro
Só assim sendo seu Deus, não uma agulha no palheiro
Só assim para eu te fazer feliz
Fazendo tudo e nada, do jeito que você bem quiz

Convivendo com os erros e aceitando os defeitos
Só assim é que sou seu homem perfeito
Lembrando de você e esquecendo de mim
Só assim...       Só assim....

Jean Lacerda.